Ponto de Contato é o novo espaço de diálogo, troca de experiências e integração da Livework com a comunidade de entusiastas no Design por meio de encontros presenciais e gratuitos. Nesta edição, reunimos os Liveworkers Gabriela Bassa, Lucas Ferrari, Ana Aldrighi e o convidado ex-Liveworker Renato Endo para um bate papo sobre Design Sprints, mediado por Victor Rocha. O papo foi de nível bem elevado, mas se você nunca ouviu falar de Design Sprint ou pouco conhece sobre o assunto, explicamos um pouco do que se trata antes de prosseguirmos…

 

O que é Design Sprint?

É uma metodologia criada pelo Google Ventures, utilizada para o desenvolvimento de projetos em apenas 5 dias, com um dia reservado para cada uma de suas etapas. Uma vez que o desafio é definido, uma equipe composta por diversos perfis de stakeholders, conduzidos por um facilitador, irá passar por todas essas etapas para resolvê-lo.

1° dia – Mapeie

A primeira etapa compreende no mapeamento de tudo que envolve o desafio a fim de entendê-lo com o máximo de profundidade possível, fazendo pesquisas e levantando hipóteses.

2° dia – Faça esboços

Esse é momento de esboçar ideias. Uma vez que se tem clareza sobre o problema, é hora de começar a pensar em quais caminhos e soluções podem resolvê-lo. Anote todas as ideias ideias que surgirem, sem filtros. Quanto mais ideias, melhor!

3° dia – Decida

A terceira etapa do Sprint é filtrar o que será realizado e o que será descartado dentre as ideias para, então, decidir quais devem ser implementadas. Considere quais terão maior impacto no serviço e quais as possíveis barreiras no processo de implementação. Feito isso, você saberá quais priorizar e poderá traçar um plano de como será o protótipo.

4° dia – Protótipo

Constrói-se um protótipo, podendo de se alta ou baixa fidelidade, com o propósito de testá-lo e ver se funciona.

5° dia – Teste

Na última etapa, testamos o protótipo com várias pessoas diferentes para, então, aprender com os resultados obtidos e os feedbacks repassados, identificando o que deu certo e o que não deu. Dessa forma, é possível tomar melhores decisões na

 

3 tópicos discutidos no Ponto de Contato #0

 

Sprint não é mágica

Muito se prega que o Design Sprint é capaz de resolver qualquer problema em apenas 5 dias. Por conta disso muitas empresas têm recorrido à metodologia como a pílula mágica para seus problemas difundindo cada vez mais o nome no mercado.

No entanto, é importante entender que o Design Sprint é o primeiro passo de um projeto que precisa ter sequência. Muito trabalho ainda deve ser feito até que a solução para os desafios seja de fato implementada e, por isso, as expectativas do cliente em relação às entregas precisam estar bem alinhadas.

Além disso, existem semanas de preparação regadas de pesquisa por parte da equipe do projeto antes da realização do sprint, e semanas de processamento depois, com todo o insumo que foi adquirido. O Sprint é a ponta do iceberg.

 

Flexibilidade em Sprints

Apesar do modelo de Design Sprints do Google ser percebido como um método bem definido, é preciso ressaltar que Design Sprints não são como uma receita de bolo que você deve seguir a risca. Neste encontro conversamos bastante sobre as variações do Design Sprint que já existem (2.0 ou 3.0) e sobre o quanto nós costumamos adaptar as nossas atividades de acordo com o projeto.

 

Despreparo Improviso

Tratando-se de Design Sprints, despreparo e improviso não são a mesma coisa. O facilitador precisa se preparar e estar atento a tudo, desde a logística, à moderação das atividades e o controle do tempo. No entanto, por mais preparado que estejamos, estarão envolvidas no Sprint os mais diversos tipos de pessoas, portanto, podem acontecer situações não previstas no cronograma e isso exigirá do facilitador uma certa habilidade em improvisação para saber o que priorizar, sem comprometer a qualidade do projeto.

Entendemos ainda que, ter um time de facilitadores que sabem atuar em sinergia pode ser crucial para que mudanças de rota possam ser realizadas, ampliando a qualidade da entrega; e esse é um dos motivos pelos quais dedicamos tanta energia na criação de uma cultura realmente colaborativa e horizontal dentro da Livework.

 

Próximo Encontro

O próximo Ponto de Contato vai acontecer no dia 6 de maio na Livework, desta vez com o tema A Vida do Service Designer. Quer participar do nosso bate papo? Inscreva-se clicando aqui.

 

Tags: